quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Papagaio




Amazona é um género de papagaios da ordem Psittaciformes, característico da América, existindo desde o sul do México até o Caribe e a América do Sul. São conhecidos, popularmente, como papagaios, louros, ajerus, ajurus, jerus e jurus. O grupo habita florestas equatoriais e tropicais e conta com 31 espécies, doze das quais ocorrendo no Brasil. Das espécies brasileiras, seis encontram-se ameaçadas ou vulneráveis a extinção.





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Formiga-bulldog




É uma formiga nativa da Austrália, mas é frequentemente encontrada na Tasmânia. Esse é mais um género de formiga Myrmecia, é menos agressiva que sua parente Formiga Macaco Saltadora (Myrmecia pilosula), porém, é a mais venenosa do género. Estas formigas são marrom-arroxeadas, com um abdómen negro. Possuem mandíbulas poderosas e serrilhadas e um ferrão venenoso. Tal como acontece com muitas espécies de formigas bulldog (o nome vem por ser agressivo igual a um pitbull), essas são geralmente solitárias quando caçam e vivem em colónias como a maioria das formigas.





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Baleia-da-gronelândia





A baleia-da-groenlândia ou baleia-da-gronelândia (Balaena mysticetus) é um mamífero cetáceo da família dos balenídeos, género Balaena. Algumas fontes consideram que esta espécie pertence ao género Eubalena, atribuindo-lhe o nome científico Eubalaena mysticetus. Essa espécie foi considerada de período de vida mais longo entre os mamíferos, podendo chegar até os 210 anos, perdendo o posto para o tubarão-da-groenlândia, que os cientistas estimaram viver cerca de 272 anos.





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”

domingo, 20 de novembro de 2016

Colibri-rubi




Colibri é um género de beija-flores que ocorre na América Central e do Sul. O grupo inclui quatro espécies, três das quais existentes no Brasil. Habitam zonas de floresta montanhosa. Os colibri são os únicos pássaros que podem voar para trás e para a frente. A sua plumagem é à base de verde brilhante menos o beija-flor-marrom. Todas as espécies do grupo têm uma mancha de cor violeta atrás dos olhos, de penas tufadas. A cauda é larga e arredondada e o bico é retilíneo. As fêmeas distinguem-se pelas manchas violeta de menores dimensões.





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”

sábado, 19 de novembro de 2016

Pato




O pato, no sentido amplo (lato sensu), é uma ave que pertence à família Anatidae. Em um sentido menos amplo, mas não Stricto sensu, é uma classe de tamanho definindo aves geralmente menores que os anserídeos (gansos e cisnes) e podem ser encontradas tanto em água doce como salgada. Os patos alimentam-se de vegetação aquática, moluscos e pequenos invertebrados e algumas espécies são aves migradoras. 





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
           Revista “Domingo”

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Panda II





Os pandas vivem nas florestas da regiões montanhosas do sudeste da China (esta região é seu habitat natural). Vivem em cavernas e no oco de árvores. Apesar de serem carnívoros, alimentam-se principalmente de folhas e brotos de bambu. Comem também alguns insetos e ovos como fontes de proteínas. Possuem um comportamento dócil, tranquilo e tímido. São raros os casos em que um urso panda atacou um ser humano.







Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Rato-canguru II





O rato-canguru é um dos poucos animais no mundo que não precisam tomar água. O roedor habita regiões desérticas dos Estados Unidos, principalmente no Arizona. Além de não tomar água, ele ingere exclusivamente sementes secas. O que muitos perguntam é como ele consegue manter-se vivo. A resposta é simples. Apesar de não beber água como nós, ele consegue quantidades mínimas de água em seu alimento.





Fonte: Jornal “Correio da Manhã”
             Revista “Domingo”